segunda-feira, setembro 9

A Harley-Davidson Sportster

A Sportster é uma família de motocicletas custom da fabricante Harley-Davidson dos Estados Unidos. Possui modelos com motores de 883 cc e 1200 cc. 
É a mais longeva família desse fabricante, tendo completado 50 anos em 20071 .
A linha custom da Sportster se destaca do restante por ter incorporado melhorias no nível de acabamento e conforto. Seu tanque de maior porte resolveu o problema de baixa autonomia. Rodas raiadas na dianteira e garfo alongado foram incorporados ao garfo dianteiro.

Linhas atuais
XL
  • XL 883 Standard
  • XL 883 Low
  • XL 883 Custom
  • XL 883 R
  • XL 883 Iron
  • XL 1200 Low
  • XL 1200 Custom
  • XL 1200 Sport
  • XL 1200 Nightster
XR
  • XR 1200x
Linhas anteriores

  • Modelo "K" (1952-1956)
  • Ironhead (1957-1985)
  • Evolution (1985-atual)
Fonte: http://pt.wikipedia.org/wiki/Harley-Davidson_Sportster

terça-feira, outubro 16

Harley-Davidson! Eu quero uma! - Parte 2


O Símbolo Do Sonho Americano




A partir deste momento, as cilindradas sucedem às inovações técnicas: o motor bicilíndrico de 1000cm³, o monocilíndrico de 600 cm³, a famosa válvula de escape lateral; o selim suspenso, a caixa de duas velocidades (depois três) e um sistema de lubrificação automático.

Em 1915 Leise Pakhurst vence o Troféu Nacional da Hora da FAM, em Birmingham, Alabama, perfazendo mais de vinte e cinco vitórias ao longo da época. Ainda em 1915, Floyd Clymer bate o recorde do mundo de tempo em dirt track em Dodge city, a 132 km/h, numa máquina equipada com um V-twin com oito válvulas com duas saídas de escape por cilindro.

Embora em 2009 uma Harley-Davidson esteja muito afastada da imagem do desporto motociclista, foi neste terreno que a marca provou a sua confiabilidade e a eficácia das soluções técnicas adotadas e revolucionárias no seu tempo.

Difícil esquecer os anos 70, no decurso dos quais especialmente as XR reinaram nas pistas de cinza dos EUA.
No futuro, talvez, possamos ver na categoria dos twins, do outro lado do Atlântico, uma Harley-Davidson multi-válvulas vencer as italianas, as alemãs e as japonesas.

Definitivamente: uma Harley-Davidson (célebre máquina americana) chama a atenção de qualquer um, que um dia ou outro, acaba cruzando o caminho com um biker mais ou menos autêntico e ouvir os sons baixos tão característicos do mais celebres motor do mundo.

Copiadas ou plagiadas, as máquinas de Milwaukee deixaram na historia suas marcas. Associada ao cinema, à música, às tradições do povo americano, ao serviço da polícia e do camponês do Middle West, as Harley-Davidson atravessaram o século 20 com sortes diversas, mas, sempre presentes.

A princípio utilizada pelo americano médio, as Harley-Davidson se tornaram, depois da II Guerra Mundial e de uma utilização maciça na política e no exército, o símbolo do Sonho Americano. Os soldados americanos de regresso da campanha europeia e que continuavam a circular em grupo, para não dizer em bando, com as suas motos, desempenharam um grande papel na imagem da marca e dos seus fãs.

sexta-feira, setembro 28

Harley-Davidson! Eu quero uma!

Basta desenvolver um interesse minimo por motos que imediatamente vem uma imagem na cabeça!


Como tenho pensado fixamente na idéia de ter a minha primeira moto e, com certeza esta vai ser uma Harley , resolvi pesquisar um pouco sobre a história destas lendas.

O NASCIMENTO:



Em 1903, na cidade de Milwaukee, no estado norte-americano de Wisconsin, dois jovens (Arthur Davidson - escultor - e William S. Harley - desenhista) resolveram instalar um motor num quadro de bicicleta, com a intenção de se locomover mais rápida e comodamente nas subidas.

É comumente dito que, no primeiro resultado obtido, entre outros detalhes, o carburador era feito de uma lata em conservas, resultando em uma falha completa: o motor, demasiado fraco, não conseguiu propulsionar o conjunto.


Na obstinação de não abandonar o projeto, houve a tentativa de se adaptar um motor de 400 cm³, nitidamente mais potente do que o primeiro. Como resultado, o engenho andava, mas, apresentava sinais exteriores de 

fraqueza.

Neste momento, chegou-se ao fato de se 'descobrir' o segredo de uma boa moto: a harmonia entre o quadro e 

o motor. Entre surpresas desagradáveis e progressos animadores, Arthur Davidson e William S. Harley, instalados em seu local de trabalho de 8m², conseguiram, finalmente, chegar à sua primeira e verdadeira maquina: construir a lendária Silent Gray Fellow, cujo motor de um cilindro inclinado de 410 cm³ que desenvolvia 3 cavalos estava equipado com uma válvula de admissão automática e com uma transmissão de correia. Foram
produzidos três exemplares, todos cinzentos, já com a cor fetiche da nova marca.





Encorajado pelo resultado, William S. Harley decidiu-se se inscrever na universidade de Wisconsin, a fim de melhorar os seus conhecimentos de mecânica. Com isso, o motor da lendária moto foi desenvolvido para um motor retificado de 450 cm³ e desenvolvendo 4 cavalos e a um quadro finalmente digno desse nome. Deste resultado saíram 50 exemplares das oficinas Harley-Davidson em 1906.


A partir de 1907, a notoriedade Harley e Davidson, aos quais se juntaram os primos William e Walter Davidson, começa a sair do Estado de Wisconsin. Com toda esta popularidade, são produzidas pelo menos cem maquinas todos os anos. E mais: para se demonstrar a qualidade das motos fabricadas, Walter Davidson se 

envolve em desporto motociclista e consegue a vitória, em 1907, em uma famosa corrida de resistência.

Finalmente, vem a recompensa definitiva: em 1907, a polícia americana começa a se equipar com motos Harley-Davidson, momento em que a moto estava de fato lançada.


Nesta época, a moto ainda estava muito longe de se chegar ao seu verdadeiro mito, mas, já começava indiscutivelmente a se aproximar dele.


Em 1909 é construído o primeiro V-Twin, associado a duas outras iniciativas na época: o acelerador de punho rotativo e a forquilha em paralelogramo, precursora daquela que se tornou celebre na futura Springer. Continua...




segunda-feira, setembro 5

Cortes Rápidos!



Gostei demais desta propaganda da Tramontina, pois além de ter sido uma sacada e tanto em termos publicitários, traz um grande aprendizado sobre como ser bem curto e grosso ao cortar aqueles assuntos indesejados ... ehehehe da pra aplicar tranquilamente em muitas situações do dia a dia!!

Parabéns à Sangue Bom Filmes, que produziu o comercial!! 

segunda-feira, agosto 29

Suzuki Samurai - Um pouco de História! (parte 2)

Depois de concluir que foi a melhor (e mais barata aquisição do mundo 4x4) gostaria de compartilhar um pouco da história deste carro! Segue um vídeo com a história do suzuki Jimny/ Samurai:



Enjoy!!


segunda-feira, agosto 22

Suzuki Samurai - Um pouco de História!

O SJ30 Suzuki começou a produção maio 1981 em Hamamatsu, Japão, como a segunda geração de verdadeiros 4x4 produzidos pelas Sujuki.

No Japão, foi vendido como a Suzuki Jimny e era um kEI CAR (categoria de carros pequenos japoneses), produzidos com motores de 550 cc e 660 cc de 3 cilindros.

O
SJ-Series recebeu um motor maior e foi alongada e alargada para fins de exportação, onde era vendido com uma infinidade de nomes: Suzuki SJ410/413, Suzuki Samurai, Suzuki Sierra, Suzuki Potohar (Paquistão), Suzuki Caribe (Tailândia), Suzuki Katana (Indonésia), Samurai Chevrolet, Holden Drover (Austrália) e Maruti Gypsy (Índia).


... (continua)

segunda-feira, agosto 15

Suzuki Samurai

O Suzuki Samurai é um pequeno jipe produzido pela japonesa Suzuki. Criado nos anos 50 baseado numa lei japonesa de micro carros de até 1,3 m de largura, nasceu com motor 0,8 litro e chamava-se Jimny. Com o tempo foi crescendo em tamanho e robustez e passou a se chamar Samurai. O motor passou a 1.0 litro e mais tarde a 1.3 litro. Chegou ao mercado brasileiro em 1991 com motor 1.3 a gasolina carburado de 62 cv, e em 1994 passou a ter injeção eletrônica e 69 cv. Muito resistente, por muitos é considerado o herdeiro do antigo jipe willys. Possui tração nas 4 rodas com eixo rígido na frente e atrás, caixa de transferência 4x4 com redução, suspensão por feixes de molas (até 1995) e por molas espirais (a partir de 1996). Pequeno e valente, disponível em versões de 3 portas com teto de aço ou teto canvas, acabamento rústico, hoje é presença constante em utilizações no fora de estrada devido a sua simplicidade de adaptação mecânica para situações mais exigentes de rodagem. Foi substituído pelo Suzuki Jimny em 1999. - Fonte: Wikipédia.

segunda-feira, maio 16

Receita Tradicional de Cookies da Família Castro e Lacerda


ISSO FICOU BOM DEMAIS!! IMPERDÍVEL!!

Ingredientes:

1 e 1/4 xícara(s) de chá de açúcar cristal

1 colher de chá de essência de baunilha

3 colheres cheias de sopa de Margarina

1 ovo

2 e 1/4 xícara(s) de chá de farinha de trigo

1 colher de chá de bicarbonato de sódio

1 colher de chá de canela

180 gramas de chocolate picadado ( + ou - 2 xícaras)


Modo de Preparo:

Pré aqueça o forno a 190°C. Em uma batedeira, bata bem os açúcares com a margarina e a baunilha.

Desligue a batedeira, coloque os outros ingredientes e misture com uma colher até desaparecer a farinha.

Com um boleador de sorvetes pequeno (ou com a ajuda de duas colheres), distribua bolinhas da massa,
deixando 2 cm de distância entre elas, em uma assadeira de bordas baixas sem untar.

Asse de 8 a 10 minutos ou até corar (o centro do biscoito deve ficar mole).

Asse apenas uma assadeira por vez. Deixe esfriar um pouco, desenforme e sirva.

quarta-feira, maio 4

Fuscaaaa!! Eu tenho!!


O alemão Ferdinand Porsche (1875-1951) foi quem deu forma ao que se tornou o carro mais vendido da história. O modelo da Volkswagen teve seus embriões em outros carros de formas arredondadas, mas foi mesmo o Fusca que entrou para a história. O carro popular por definição – o Fusca surgiu dentro do conceito alemão de “Volks Wagen”, ou seja, carro do povo – tinha muito das formas do carro de luxo. Porsche desenhou por encomenda da Auto Union, hoje a Audi, uma linha de sedãs de luxo que em muito se pareciam com o Fusca.

Mas foi mesmo o flerte com o luxo e o poder que permitiu a Porsche fazer sua criação mais famosa. O designer era amigo de um importante assessor do ditador Adolf Hitler e acabou sendo contratado pelo governo alemão em 1934 para desenvolver seu projeto. Mas Porsche tinha de seguir as exigências de Hitler: criar um carro capaz de transportar dois adultos e três crianças (ou três soldados e uma metralhadora), alcançar velocidade média de 100 km/h, não consumir mais de um litro a cada 13 km, ter motor refrigerado a ar e ser vendido por menos de mil marcos, a moeda da época.

Foram muitos protótipos até chegar ao modelo final, com motor traseiro de quatro cilindros, refrigerado a ar e sem radiador. A carroceria aerodinâmica foi desenhada pelo austríaco Erwin Komenda (1904-1966). Os primeiros modelos para teste surgiram em 1936 e enfrentaram as estradas alemãs com soldados ao volante. Em um segundo momento, optaram por instalar janelas traseiras, além de pára-choques.

O governo acabou aprovando o projeto, e o primeiro Fusca saiu da linha de montagem em 1940. Houve subsídio do Estado e um plano de parcelamento que permitiu que os alemães comprassem um Fusca pagando cinco marcos por semana. A Segunda Guerra Mundial acabou interrompendo a produção, e houve polêmica quando se tornou público o fato de se terem usado prisioneiros de guerra na linha de montagem. Foi só durante a ocupação da Alemanha pelos aliados que se voltou a produzir.

Dos muitos modelos que então surgiram, o de 1959 definiu a imagem que se consagraria nas décadas seguintes. Em 1973, o Fusca viveu seu auge: 1,25 milhão de unidades por ano ganhavam as ruas das cidades do mundo todo. O último modelo desse Fusca tradicional parou de ser produzido em 2003, no México, onde o uso em massa pelos taxistas rendeu ao carrinho sua maior sobrevida.

AUTOR: Ferdinand Porsche / Volkswagen

MATERIAL: Aço e outros materiais

DIMENSÕES: 149,9 x 153,7 x 406,4 cm

ANO: 1959

Fonte: Revista Bravo (http://bravonline.abril.com.br/conteudo/bravo/materia_410581.shtml)